quinta-feira, 30 de setembro de 2010

É verdade que vitaminas engordam?

Não! Vitaminas não possuem calorias, portanto, não podem se acumular e nem ser transformadas em gordura. Também não aumentam a tendência do corpo de acumular gordura. Ou seja, não engordam. Mas então por que existem medicamentos com vitaminas para “engordar”? Bem, na verdade, esses medicamentos possuem em sua fórmula uma substância orexígena (que faz abrir o apetite), como a ciproheptadina, que age no cérebro na parte onde ele controla o apetite, e é a responsável por fazer a pessoa comer mais e, consequentemente, engordar. Mas então por que possuem vitaminas na composição? Porque a deficiência de certas vitaminas ocasiona a perda de apetite, e voltando-se aos níveis normais, o apetite será restabelecido. Provavelmente foi por isso que surgiu o mito de que vitaminas engordam.

O absurdo deste mito é tanto, que algumas pessoas acham que medicamentos para aumento do apetite, e consequentemente ganho de peso, como a Buclina (buclizina), é uma vitamina!!! (eu já ouvi muito a pergunta: Quanto custa aquela vitamina, a Buclina?)

Por outro lado, existem evidências de que doses elevadas de vitaminas do complexo B podem causar um aumento do apetite. De fato estas vitaminas estão envolvidas no metabolismo energético do organismo, inclusive no processo de formação de gorduras. Mas isso não significa, de modo algum, que fariam uma pessoa com níveis adequados destas vitaminas engordar. Nos indivíduos com uma dieta equilibrada, o suplemento não provoca nenhum efeito sobre o apetite.

domingo, 19 de setembro de 2010

O álcool corta o efeito dos antibióticos?

Existe uma crença popular bastante difundida de que tomar bebidas alcoólicas durante um tratamento com antibióticos “cortaria o efeito” destes.

Isso é verdade?

Não exatamente! Alguns antibióticos, como a tetraciclina e seus derivados, podem realmente ter sua ação diminuída com o uso de bebidas alcoólicas. Outros, como metronidazol e tinidazol, e as cefalosporinas (cefalexina,  cefaclor, cefadroxila, axetil-cefuroxima, etc), podem gerar efeitos desagradáveis na presença do álcool, sem contudo terem seus efeitos “cortados”.

Porém, a grande maioria dos antibióticos não sofre interferência direta com o uso de bebidas alcoólicas. O que não significa que se pode beber à vontade! O álcool pode alterar a velocidade de absorção e eliminação do antibiótico, o que não é desejável. Além de que, em muitos casos, junto ao antibiótico, são prescritos pelo médico analgésicos e anti-inflamatórios. Estes sim, podem ter efeitos adversos agravados se usados juntamente com o álcool, principalmente gastrointestinais (como ulcerações) e aumento do tempo de sangramento.

sábado, 11 de setembro de 2010

Conjuntivite

Hoje vou falar um pouco sobre conjuntivites. Muitas pessoas com vermelhidão nos olhos, suspeitando de conjuntivite, procuram as farmácias para que seja confirmado o diagnóstico, e consequentemente, seja “passado” um tratamento para o problema. Porém, a conjuntivite é apenas um dos vários problemas oculares com manifestações semelhantes.

Conjuntivite é uma inflamação aguda da conjuntiva, que é uma membrana que reveste a região posterior das pálpebras, e estende-se para o espaço entre a pálpebra e o globo ocular, e sobre a esclera até a córnea.

A conjuntivite pode ter 3 causas distintas: vírus, bactérias ou alergia.

A conjuntivite viral apresenta como principais sintomas a vermelhidão, aumento da secreção aquosa, irritação ocular, e as pálpebras ficam “grudadas” ao acordar. Geralmente, ela aparece nos dois olhos; após iniciar-se em um deles, posteriormente atinge o outro também. Dura aproximadamente 1 semana nos casos mais leves, e até 3 semanas nos casos mais graves. Normalmente, tendo-se a certeza de que a infecção é causada por vírus, não é necessário qualquer tipo de tratamento. Em alguns casos, colírios lubrificantes podem trazer algum alívio. Pode-se também fazer compressas com soro fisiológico, de preferência gelado, várias vezes ao dia. No entanto, estes tratamentos trazem resultados muito limitados.

Na conjuntivite bacteriana, um dos principais sintomas apresentados é a secreção purulenta (com pus). Vermelhidão e pálpebras “grudadas” também aparecem neste caso. Normalmente, apenas um dos olhos é afetado. Geralmente, dura 3 semanas quando não tratada, e 1 a 2 dias quando tratada. O tratamento é feito utilizando-se colírios e/ou pomadas com antibióticos.

A conjuntivite alérgica, além da vermelhidão, apresenta secreção aquosa e coceira intensa. Pode ser causada por pólen, pó, poeira e pelos de animais. O tratamento é feito à base de colírios anti-alérgicos e/ou anti-inflamatórios.

Como podemos ver, para cada tipo de conjuntivite há um tratamento específico. Na maioria dos casos, a conjuntivite irá curar-se mesmo sem tratamento. Porém, o médico sempre deverá ser consultado, já que no caso de uma infecção bacteriana, dependendo do tipo de bactéria presente, pode levar inclusive à cegueira.

domingo, 5 de setembro de 2010

Antibióticos X Dor de garganta

Resolvi estrear meu Blog falando sobre este assunto, já que estamos num período no qual os problemas de garganta estão bastante disseminados. Por trabalhar em drogaria, muitos clientes diariamente me procuram dizendo que estão com dor de garganta, e perguntam qual o melhor antibiótico para tomar. Aí está o problema: em primeiro lugar, a pessoa nem passou pelo médico e está querendo se auto-medicar. Mas a questão aqui é o motivo pelo qual ela quer tomar antibiótico. Existe uma crença generalizada entre os leigos de que antibióticos servem para tirar dor e inflamação. Podemos notar aí uma confusão com os "anti-inflamatórios". Porém, mesmo que a pessoa saiba que antibióticos servem para tratar uma infecção, precisaria saber o que está causando esta infecção: vírus ou bactérias. Os antibióticos servem para tratar apenas as infecções causadas por bactérias, e não têm absolutamente nenhum efeito sobre os vírus (a não ser que seja psicológico, o efeito placebo). Ocorre que a maioria das infecções de garganta são provocadas por vírus (fala-se que cerca de 90% destas infecções em adultos são virais), restando apenas uma minoria para a qual os antibióticos estariam indicados.

Portanto, se você estiver com dor de garganta, procure seu médico, ou converse com um farmacêutico para que ele possa lhe ajudar a aliviar a dor com algum medicamento isento de prescrição médica.

E jamais tome antibióticos por conta própria ou por indicação de amigos e parentes!

Pesquisar este blog

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...