sexta-feira, 27 de maio de 2011

O que seria um remédio forte?

Eu me lembro de uma reportagem que assisti na TV, há alguns anos, que falava sobre o uso incorreto de antibióticos. Uma senhora estava sendo entrevistada, e disse que interrompeu o tratamento da filha porque acreditava que o remédio era "muito forte"... Agora eu pergunto: o que é um remédio forte? O que você entende por remédio forte?

Pelo que tenho observado, cada um entende uma coisa diferente! Uns dizem que a dosagem (miligramas) é alta, outros dizem que tem muitos efeitos colaterais... A questão é: não dá pra dizer que um medicamento é forte!

Exemplo: é bastante comum me perguntarem se o antibiótico X é mais forte do que o Y. E minha resposta é: não existe antibiótico mais forte do que outro. Existem antibióticos que matam certos tipos de bactérias, e outros que matam outros tipos... O antibiótico precisa ser o correto para aquela bactéria que está causando a infecção. Não existe isso de ser mais forte ou mais fraco!

Outro exemplo: nimesulida 100mg é mais forte que meloxicam 15mg? Parece que sim, não é? 100mg contra apenas 15mg... Mas, na verdade, seria o contrário! Isto porque precisamos de apenas 15mg de meloxicam para produzir o "mesmo" efeito de 100mg da nimesulida. Então, dizemos que o meloxicam é mais potente (este é o termo correto) do que a nimesulida.

Porém, quando se trata do mesmo medicamento, como o próprio meloxicam, que existe nas dosagens de 7,5mg e 15mg, aí podemos dizer que o de 15 é mais forte que o de 7,5. Mas somente nestes casos! E jamais com medicamentos diferentes!

terça-feira, 24 de maio de 2011

Remédios: devemos tomá-los com estômago cheio ou vazio?

Quando você vai tomar um remédio, deve tomá-lo com o estômago cheio, certo??? ERRADO!!!!!! Sua mãe já deve ter falado para você comer alguma coisa antes de tomar seu remédio, ou tomá-lo com leite. Todas as mães falam isso! Mas, na verdade, muitos medicamentos devem ser tomados com o estômago vazio, mesmo. Isto porque eles necessitam do ambiente mais ácido do estômago para poderem ser absorvidos. Já alguns outros são melhor absorvidos na presença de alimentos, ou agridem menos o estômago neste caso. E outros, possivelmente a maioria, não sofrem interferência na presença ou ausência de alimentos.

Existem também medicamentos que possuem interação com determinados tipos de alimentos. Por exemplo, a tetraciclina não deve ser tomada com leite ou outros alimentos ricos em cálcio, pois ela se liga ao cálcio, formando um complexo que não pode ser absorvido pelo organismo, diminuindo a ação do medicamento.

- Exemplos de medicamentos que devem ser tomados com o estômago vazio:


  • Norfloxacino
  • Captopril
  • Omeprazol
  • Cefalexina
  • Cefadroxila
  • Azitromicina
  • Doxiciclina
  • Loratadina
  • Sulfato ferroso
  • Rifampicina
  • Ciprofloxacino (pode ser tomado com refeições leves, desde que não contenham leite e derivados)

Obs.: Estômago vazio é considerado quando se está em jejum, ou 1 hora antes ou 2 depois das refeições.

Exemplos de medicamentos que devem ser tomados com alimentos (estômago cheio):



  • Cetoconazol
  • Itraconazol
  • Hidralazina
  • Pentoxifilina
  • Predinisona
  • Valproato  de sódio
  • Carbamazepina


Exemplos de medicamentos que podem ser tomados com o estômago cheio ou vazio:



  • Alopurinol
  • Amoxicilina
  • Amiodarona
  • Diclofenaco


O correto, SEMPRE, é ler a bula do medicamento e verificar como ele deve ser tomado. Ou perguntar para o farmacêutico. Porém, se você jogou fora a bula, e está longe de algum farmacêutico, opte por tomar o remédio sem alimentos, somente com água. Assim, você até poderá ter alguma dor no estômago, mas provavelmente não vai atrapalhar a ação do medicamento.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Você sabe o que significa "10 volumes" na Água Oxigenada?

Alguma vez você já se perguntou o que são os volumes da água oxigenada? 10 volumes, 20 volumes, 30, 40... Tem até aqueles que dizem "volume 10"! Mas o que exatamente são estes volumes? E por que 10, 20, 30, 40?

Bem, a água oxigenada é o nome popular da substância de nome químico peróxido de hidrogênio, cuja fórmula é H2O2, ou seja, água (H2O) com mais um átomo de oxigênio (O), por isso água oxigenada. Quando se decompõe, cada molécula de água oxigenada libera um átomo de oxigênio. Este oxigênio é altamente reativo (e por isso é o responsável pela ação antisséptica da água oxigenada), e rapidamente combina-se com outro oxigênio para formar o gás oxigênio (O2).

Esta explicação foi um pouco técnica, mas é necessária para o entendimento dos "volumes":

Então, você sabe que a água oxigenada é comercializada como 10, 20, 30 volumes. Este número aumenta conforme a concentração do peróxido de hidrogênio na fórmula. Lembra-se do oxigênio liberado na decomposição? É ele que vai dar o "volume" da água oxigenada! Vou explicar utilizando exemplos:

  • 1 litro de água oxigenada libera 10 litros de gás oxigênio (O2). 10 litros de oxigênio é 10 vezes o volume de 1 litro de água oxigenada, por isso, ela é chamada de 10 volumes.
  • 1 litro de água oxigenada libera 20 litros de gás oxigênio (O2). 20 litros de oxigênio é 20 vezes o volume de 1 litro de água oxigenada, por isso, ela é chamada de 20 volumes...

...e assim por diante! Quanto maior a concentração do peróxido de hidrogênio, maior a liberação do gás oxigênio, e maior o volume da água oxigenada!

terça-feira, 3 de maio de 2011

Qual a diferença entre Diclofenaco Sódico, Diclofenaco Potássico e Diclofenaco Colestiramina?

Caso você esteja procurando pelo uso de diclofenaco sódico ou potássico por hipertensos, clique aqui.


Qual a diferença entre o diclofenaco sódico, o diclofenaco potássico e o diclofenaco colestiramina?

Há uma lenda espalhada entre a população e também entre muitos balconistas de farmácia, que diz que o sódico serve para inflamações de tecidos "duros" (como articulações, ossos, etc), o potássico para tecidos "moles" (garganta, etc)... Mas qual será a verdade por trás das diferentes formas?

Quimicamente, o diclofenaco pode estar ligado a um íon sódio, potássio, ou à colestiramina (que é uma resina).

Todos os tipos de diclofenaco, depois de absorvidos pelo organismo, são exatamente a mesma coisa: apenas diclofenaco. No estômago, o sódico perde seu íon sódio e o potássico perde o íon potássio. E o diclofenaco colestiramina separa-se da colestiramina.

Portanto, a diferença está na velocidade com que cada um deles será absorvido!

O diclofenaco potássico é mais solúvel em água do que o sódico. Isso faz com que ele seja absorvido mais rapidamente, e também inicie sua ação mais rapidamente. Já o diclofenaco colestiramina tem uma absorção bem rápida (e um início de ação rápido), mas também gradual, o que permite que atinja uma concentração no sangue menor, e um tempo de ação maior no organismo.

Ainda assim, os três tipos continuam sendo o mesmo diclofenaco, e a ação farmacológica tem que ser obviamente a mesma. Porém, as indicações podem ser diferentes dependendo da necessidade de um início de ação mais rápido, ou de uma duração mais prolongada.

Curiosidade: o nome diclofenaco é derivado de seu nome químico em inglês: 2-[(2,6-dichlorophenyl)  amino] benzeneacetic aciddichlophenac, simplificado para diclofenac, e recebendo um "o" no final, pela Denominação Comum Brasileira (DCB).

Pesquisar este blog

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...