quinta-feira, 30 de julho de 2015

Medir ou aferir a pressão? Qual o termo correto, afinal?

Os termos utilizados para o ato de utilizar um instrumento que mostrará qual a pressão sanguínea de um indivíduo são causa de muita discussão entre profissionais da saúde.

Eliminando-se os termos "tirar a pressão", que é totalmente incorreto, e "verificar a pressão", pouco utilizado, ficamos com os principais: "medir a pressão" e "aferir a pressão". Estariam os dois corretos, ou um é mais adequado que o outro? É essa resposta que me proponho a discutir nesse post.

Para começar, vamos usar as definições do dicionário Aurélio para cada um dos termos:

Aferir: 1. Conferir (pesos, medidas, etc.) com os respectivos padrões. 7. Avaliar, estimar, medir.

Medir: 1. Determinar ou verificar, tendo por base uma escala fixa, a extensão, medida ou grandeza de (algo).

Como podemos ver, medir é um dos sinônimos de aferir, o que tornaria ambos corretos gramaticalmente.

Porém, tecnicamente falando, o termo aferir é utilizado com o sentido de sua definição nº1: Conferir (pesos, medidas, etc.) com os respectivos padrões. Como exemplo, quando vamos aferir uma balança, pegamos um objeto (peso) com um valor conhecido (p. ex. 1kg), e vemos se a balança mostra exatamente 1kg. Caso ela não mostre esse valor, deverá ser calibrada. Isso é aferição. Compara-se o resultado de um instrumento com um padrão.

Já a palavra medir é utilizada quando se compara o objeto da medição com uma escala de valores, utilizando-se do auxílio de instrumentos. Como medir a temperatura, usando a escala Celsius ou Fahrenheit, através de um termômetro.

Aliás, os instrumentos utilizados para se fazer medições terminam em -metro, como o próprio termômetro, o velocímetro, o altímetro, o anemômetro, o pluviômetro, o barômetro e inclusive aquele utilizado para a medição da pressão sanguínea, o esfigmomanômetro.

Então, se você mede (e não afere) temperatura, velocidade, altitude, quantidade de chuva, pressão atmosférica, etc., então nada mais óbvio do que medir a pressão sanguínea também!

No entanto, a expressão "medir a pressão" foi ridicularizada em diversos cursos da área da saúde por professores que a ouviam de seus alunos e respondiam que "para medir a pressão, deve-se usar uma fita métrica". A causa da discórdia no uso dos termos deve ter surgido da ignorância desses profissionais quanto ao verdadeiro significado do uso dessas palavras.

Resumindo: embora pelo dicionário os dois termos estejam corretos, tecnicamente o uso do termo"medir a pressão" é mais adequado.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Eparema e Epocler servem para a mesma coisa? Qual escolher? Servem para evitar ou curar a ressaca?


Quase todo mundo sabe que Eparema e Epocler servem "para o fígado". Eles são iguais? Qual deles escolher? Servem para evitar ou curar a ressaca?

Respondendo à primeira pergunta: não, eles não são iguais. 

Respondendo à segunda pergunta: se eles não são iguais, a escolha dependerá de qual o problema que a pessoa tem.

Então, vamos ver para o que serve e como funciona cada um desses medicamentos:


  • EPAREMA

Composto pelos extratos vegetais de Boldo, Cáscara Sagrada e Ruibarbo. Indicado para facilitar a digestão de alimentos gordurosos através da eliminação da bile.

Para entendermos melhor, primeiro vamos falar rapidamente sobre as funções da bile (também chamada de bílis): a bile é um fluido (líquido) produzido continuamente pelo fígado, e que vai sendo armazenado numa espécie de bolsa, chamada vesícula biliar (conhecida popularmente apenas como vesícula). Quando comemos, os alimentos vão tendo uma parte da sua digestão no estômago, e depois passam para o intestino. Quando chegam lá, a vesícula libera a bile que estava armazenada, para que ela possa "quebrar" a gordura presente no alimento, o que facilita a ação de uma enzima chamada lipase, que atua na absorção da gordura.


Após uma refeição rica em gordura, podemos ficar com uma sensação de digestão difícil, pesada. É aí que entra o Eparema. Ele tem ação colagoga (aumento da produção de bile) e colerética (aumento da saída de bile da vesícula). Portanto, facilita a digestão das gorduras. 

principal ação do Eparema deve-se ao extrato de Boldo.


  • EPOCLER
Composto por Colina (citrato de colina), betaína e metionina (racemetionina). Indicado no tratamento de distúrbios metabólicos hepáticos (= do fígado), entre eles a esteatose hepática

Essa doença caracteriza-se pelo acúmulo anormal de gordura dentro das células do fígado, condição que pode se agravar e levar a uma cirrose hepática. A esteatose é causada por diversos fatores, mas um dos mais comuns é a ingestão excessiva de álcool, aguda ou crônica.

Os aminoácidos presentes na fórmula do Epocler (colina e metionina), atuam na metabolização das gorduras acumuladas no interior dos hepatócitos, revertendo o quadro da esteatose hepática. A metionina ainda tem importante função protetora do fígado contra os radicais livres por sua ação antioxidante acentuada e por ser precursora do glutation, um dos principais antioxidantes deste órgão. A betaína completa a ação antioxidante hepática, pois juntamente com a metionina e a colina, acelera a remoção da gordura infiltrada no fígado.

Agora, respondendo à terceira pergunta lá de cima, se eles servem para evitar ou curar a ressaca: NÃO!!!

Como pudemos ver, o Eparema não tem ação alguma sobre a ingestão de álcool. Já o Epocler poderia ter algum efeito apenas minimizando os efeitos oxidativos dos radicais livres. Porém, segundo o dr. Hoel Sette Jr., da Clínica Pró-Fígado:

"Depois de beber, é bom tomar remédios hepatoprotetores como Epocler e Metiocolin?
Tais medicamentos, vendidos sem receita médica e compostos de sais minerais, aminoácidos e vitaminas, não têm qualquer efeito protetor sobre o fígado. Para quem não quer sofrer danos advindos do álcool, só existe um conselho: beber com moderação."

Pesquisar este blog

Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...